O livro onde o medo de toda criança se torna realidade: O monstro embaixo da cama.

 

Nome: O Menino Que Desenhava Monstros
Nome original: The Boy Who Drew MonstersAutor: Keith Donohue
Editora: DarkSide Books
Gênero: Terror
Páginas: 260 (estimadas)
Ano de Publicação: 2016

     A trama gira em torno de Jack Peter, um menino de 10 anos que sofre de Asperger e Agorafobia, que foram expostas após um afogamento, anos antes. Seus pais vivem em função de cuidar de seu filho da melhor forma possível porém, sua condição limita extremamente sua vida, uma atividade simples como por exemplo, ir ao médico se torna uma difícil e delicada missão. O menino passa seus dias desenhando, na maior parte do tempo sozinho. Seu único amigo é Nick, filho de um casal amigo de seus pais. Nick sempre vem passar algum tempo com Jack durante as tardes e fazer companhia, porém Jack vive preso dentro dele mesmo e sua única válvula de escape são os desenhos que faz.
A mãe da criança, Holly, resolve procurar outros tipos de ajuda e apoio, quando o menino à agride com socos, acreditando que ela era um dos monstros que povoam seu imaginário e pesadelos, o que a assusta profundamente, sendo levada a acreditar que o estado do seu filho tem tido grande piora. A partir de então, tanto a mãe quanto o pai de Jack passam a ver coisas estranhas, e a terem a sensação de que algo os rodeiam, esperando apenas a oportunidade para atacar. Tim, pai de Jack começa então a perceber uma ligação entre os desenhos que seu filho faz e as “coisas” que começaram a aparecer misteriosamente. O quebra cabeça então está resolvido, Jack trazia a realidade os monstros que desenhava, e agora o que fazer?


A obra além do terror psicológico, também traz conflitos familiares e pessoais de cada personagem. Apesar de o começo do livro ser um tanto quanto arrastado, o desfecho faz com que a leitura valha a pena. Quanto a edição simplesmente maravilhosa, como sempre a Darkside fazendo um trabalho incrível. As últimas páginas do livro são em branco, especialmente para que o leitor possa desenhar seus monstros, lembranças, angústias, pesadelos e sonhos.
Segundo a editora, Darkside books, James Wan, diretor responsável por SAW e Invocação do mal, será o responsável por adaptar a história para o cinema (o que me deixa extremamente ansiosa).

 “Por que Jip tinha de se afastar tanto às vezes? Amar de longe é muito mais difícil quando se trata do próprio filho. E Tim amava Jip com uma força que o surpreendia nesses momentos calmos. Ainda assim, amaldiçoava os médicos e terapeutas, desejando, um milhão de vezes, ter um filho diferente.” Pág. 144

 

CarolRosello.

Carol Rosello

Author Carol Rosello

Gótica suave, militante do café, colunista nas horas vagas e viciada em filmes de terror.

More posts by Carol Rosello

Leave a Reply