“Será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar na mais adorável das crianças?”

Nome: Menina Má
Nome original: The bad seed
Autor: William March
Editora: DarkSide Books
Gênero: Suspense psicológico
Páginas: 272 páginas (estimadas).
Ano de publicação: 2016

O livro intitulado semente do mal foi lançado no ano de 1954, pelo autor William March. O romance gira em torno de uma garotinha de oito anos, que vive com seus pais em uma cidade para a qual acabaram de se mudar, Baltimore. Seu nome é Rhoda Penmark. Todos à sua volta são apaixonados por por ela. Sempre muito bem vestida e educada, vizinhos e professores a admiram porém, nem podem imaginar do que essa linda e meiga criança é capaz.
Um filme baseado no livro foi gravado no ano de 1957 e antes um espetáculo foi estreado na Broadway sobre o mesmo. A obra teve uma grande repercussão que, infelizmente o autor não pode aproveitar, já que faleceu um mês depois de sua publicação.
Logo no começo do romance podemos perceber que a garotinha é diferente das demais crianças, demasiadamente organizada e muitas vezes manipuladora, ela não suporta a ideia de ser contrariada.
O romance acompanha a mãe da menina, Sra. Christine Penmark que fica sozinha com sua filha enquanto seu marido precisa fazer uma longa viagem à trabalho. Á medida em que ela descobre os horrores e atrocidades que sua filhinha é capaz de cometer, Christine se desespera e se vê de mãos atadas. Conforme percebe que suas suspeitas são reais Sra. Penmark começa a procurar saídas para o seu grande problema.
Vários personagens são construídos durante o desenrolar da história, mas sem sombra de dúvidas o mais bizarro é Leroy, uma espécie de faz tudo do prédio em que a família Penmark morava e que nutria uma doentia necessidade de perseguir e desafiar Rhoda, talvez porque reconhecesse nela algo que encontrava dentro de si.
O livro tem um bom ritmo, apesar dos casos reais que o autor traz e que na minha opinião embaraçaram um pouco a história. Salvo esse pequeno detalhe a obra é apaixonante (se você gosta de garotinhas malvadas haha), e traz uma mistura de sentimentos. Vale a pena conferir também, o longa metragem intitulado no Brasil de “Tara maldita”, lançado em 1956 e que tem em seu elenco Patty McCormack, Nancy Kelly, Evelyn Varden entre outros ótimos atores. O longa teve várias indicações ao Oscar e ganhou um Globo de ouro.
Um ponto interessante a ser ressaltado é que no ano em que a obra foi lançada pouco se falava em psicopatia, menos ainda em crianças psicopatas, o que faz o livro ainda mais especial pra mim. Apesar de não ganharem tanto destaque na mídia, vários eram os casos de psicopatia infantil, como podemos lembrar o caso de Mary Bell, uma garotinha de dez anos que estrangulou outras duas crianças de três e quatro anos de idade em 1968.


    Menina má deixa um rastro de assassinatos e um questionamento, será que o mal nasce com o indivíduo ou ele é desenvolvido enquanto sua identidade é formada?

E fiquem ligados, segunda-feira (17/09) sai um podcast exclusivo sobre Serial Killers e psicopatia.

Carol Rosello

Author Carol Rosello

Gótica suave, militante do café, colunista nas horas vagas e viciada em filmes de terror.

More posts by Carol Rosello

Leave a Reply